quarta-feira, 27 de maio de 2009

Como fazer uma "defesa" de Mascote

Defesa Mascote IASDC*

Muitos estavam me perguntando como seria a “defesa” de proposta para um mascote para empresas. Lembrando que no Brasil, como em outras áreas, os empresários não conseguem visualizar o potencial estratégico de adotar um mascote para sua empresa.
Bom aproveitei para expor a defesa do mascote do Instituto de Artes.

Objetivo
Criação de uma mascote para o *Instituto & Studio de Artes Darci Campioti, para uso em sua identidade visual. A aplicação do mascote terá uso mais restrito, atuando em alguns impressos.
O mascote deve conter um ”appeal” e uma pregnância acentuada.
Itens da elaboração:
1º - Estilo
2º - Personagem
3º - Porque do personagem
4º - Cor do personagem
5º - Nome personagem e por que
6º - Logo nome personagem
7º - Cor logo personagem

1º - Estilo
Dentre os estilos classificamos os três de maior influência:
• Realista
• Caricato
• Mangá

A escolha foi por comparação e mercadológica, assim analisamos:

Realista – Trazer a tona um mascote que mantivesse suas características reais, poderia implicar na falta do “appeal” ou o seu uso fica mais restrito, principalmente no uso de personagens animais e colocaria em risco o uso de personagens “fantásticos”, apesar de não afetar pregnância. O uso de personagens humanos, poderia limitar seu uso na identidade visual do Instituto, apesar do uso de personagens humanos em um “traço” mais realista dificilmente são usados.
Mangá – O personagem criado nesse estilo tem uma aceitação boa, apesar de o público maior ser o feminino de 10 a 20 anos. Por outro lado há uma resistência por parte de alguns pais e igrejas concernentes ao mangá, fundadas ou infundadas, essa resistência afeta o uso do mangá, já que o público do Instituto tem em sua maioria, adolescentes, tendo seus cursos pagos pelos pais. Então descartamos esse estilo.
Caricato – Nossa opção está alicerçada, no uso desse traço, visto que a grande maioria de mascotes se encontre nesse estilo. A dúvida séria em qual categoria iria apoiar a criação do mascote, visto que o estilo caricato tem uma gama enorme de variação,(traço franco-belga, realista estilizado, retro, traço Disney, new retro, infantil, etc..) e dentro dessas variações existem ainda subdivisões.
Avaliamos que o traço infantil seria o mais apropriado, tendo em vista o uso de linhas curvas para maior identificação com o público aumentando seu “appeal” e pregnância.
Desse modo, conseguiremos também atingir os pais , adolescentes e as crianças.

2º - Personagem
Definido o estilo de desenho, agora teríamos que identificar o personagem apropriado para o Instituto. Teríamos como opção: Animal, mineral, vegetal, humano, fantástico e abstrato.
Descartamos de imediato o mineral pela dificuldade de um “appeal” e de pregnância, como poderia sugerir outra informação, em seguida, foi o vegetal pois poderia remeter, fácil, para outro segmento. O abstrato não teria um entendimento imediato e até na criação e suas facetas seria difícil de controlar.
O “fantástico”, provavelmente não teria as informações necessárias para uma leitura rápida e poderia demonstrar que o Instituto teria somente uma linha de trabalho, afetando assim o efeito do mascote.
Ficamos com duas categorias animal e humano. Para esse último decidimos que seriam crianças ou adolescentes, mas são usados em geral para escolas de inglês. Optamos então para o animal.
Agora deveríamos identificar qual animal. Gostaríamos de um animal que não fosse muito utilizado, depois de algumas pesquisas, chegamos à conclusão que usaríamos o Camaleão.

3º - Porque do Personagem
O camaleão tem muito haver com os objetivos do Instituto.
Uma dessas características é sua capacidade de adaptação, vemos que o Instituto também possui essa característica, já que seus professores, são atuantes na área de desenho, sempre observam e se adaptam com os estilos novos e tendências para que seus alunos possam ter um curso sempre atualizado. Se adaptar para as necessidades dos alunos para que possam absorver o máximo dos cursos.
Outra característica desse animal, é sua capacidade ocular, que gira em seu eixo 360º . O que se iguala ao Instituto pois sempre está presente e de “olho” no mercado, que por vezes, indica grandes oportunidades aos alunos, como também o que acontece no mundo dentro da área de artes e principalmente de história em quadrinhos. Dentro do campo da visão, o camaleão, quando vai pegar sua presa, fixa um olho nela e o outro gira para ver se não corre risco,comparativamente, o aluno é o foco principal, o seu aprendizado é nossa meta e objetivo, por isso um olho focado sempre no aluno e o outro observando, incansavelmente a busca de novos recursos e oportunidades.
Temos também o lado folclórico:
Na simbologia de algumas tribos africanas, o camaleão é um animal sagrado, ele é visto como o criador dos primeiros homens. Nunca é morto, e quando é encontrado no caminho, tiram-no com precaução, com medo de maldições.
Na Amazônia, encontrar um camaleão indica bons fluídos: estes animais indicam boa sorte, e matá-los traz mal agouro.
Recentemente pesquisas falam ainda mais sobre nosso mascote:
Camaleões desenvolveram a habilidade de mudar de cor para tornarem-se mais visíveis, e não, como se acredita popularmente, para esconder-se mimetizando-se à paisagem ao redor, sugere um estudo de cientistas australianos e sul-africanos. O réptil muda de cor por uma variedade de finalidades: comunicação, camuflagem e controle de temperatura. Entretanto, a razão primordial por que eles desenvolveram esta habilidade permanecia desconhecida. Escrevendo na revista científica PLoS Biology, cientistas dizem que o motivo era transmitir mensagens a outros camaleões. "(Nossa pesquisa) sugere que os camaleões desenvolveram esta mudança de cores para transmitir mensagens, repelir rivais ou atrair parceiros, e não para mimetizar-se a uma maior variedade de ambientes", disse o co-autor do estudo, Devi Stuart-Fox, da Universidade de Melbourne.
Habilidade de mudar de cores dramaticamente evoluiu como estratégia de facilitar a comunicação e a socialização, e não a camuflagem.

Fonte: BBC Brasil
Dentro desses contextos acreditamos que o camaleão é o personagem mais representativo e significativo.


4º- Cor do personagem
As cores usadas no personagem, são as cores que representam o Instituto em sua identidade visual, que são:
Vermelho, azul e branco, acrescentou-se o verde.
Nas áreas de brilho menos intensas, acrescentamos o alaranjado.
Assim produzimos um conjunto de cores que desencadeiam emulações positivas que são agradáveis e estimulantes. As cores foram utilizadas da seguinte forma:

No tronco e parte frontal e nos braços e mãos da personagem foram utilizada as cores vermelho e alaranjado (área de brilho)
Vermelho - sugere motivação, atividade e vontade. Ele atrai vida nova e pontos de partida inéditos. O vermelho está associado ao calor e à excitação, com a iniciativa e a disposição para agir, com o espírito de pioneirismo que nos eleva. Persistência, força física, estímulo e poder são seus traços típicos. Afetuosidade e perdão são duas belas qualidades dessa cor, assim como a prosperidade e a gratidão. E a paixão que nos motiva.
Cor quente, com natureza extrovertida. Essa cor estimula a vitalidade e energia em todo o organismo vivo e, quando houver indolência, estimula a atividade. O vermelho traz vigor às funções físicas e atenua a inércia, a melancolia, a tristeza, a depressão e a letargia. Essa cor transfere a energia necessária à reconstrução e à fortificação do corpo.
Alaranjado - assim como o vermelho, a cor alaranjada é expansiva e afirmativa; contudo é mais construtiva. O alaranjado reflete entusiasmo com vivacidade impulsiva e natural. Essa cor traz a boa saúde, vitalidade, criatividade e alegria, assim como confiança, coragem, animação, espontaneidade e atitude positiva frente à vida. Comunicação, movimento e iniciativa geralmente são elementos dessa cor.

Na parte posterior da cabeça e nos pés
Azul - é uma cor terapêutica, que relaxa, acalma e esfria. Pode ser associado à lealdade, integridade, respeito, responsabilidade e autoridade. O azul-escuro e profundo é uma cor que remete a integridade e honestidade.
Nos olhos
Verde - reflete participação, adaptabilidade, generosidade e cooperação. Essa cor atenua as emoções, facilita o raciocínio correto e amplia a consciência e compreensão. Ela é a imagem da segurança e da proteção. E simboliza esperança, perseverança, calma, vigor e juventude.
Branco - remete a paz, sinceridade, pureza, verdade, inocência, calma. Contém todas as cores, é purificador e transformador. Representa o amor divino, estimula humildade e imaginação criativa, sensação de limpeza e claridade.

Observação importante 1– apesar de todo o estudo sobre estilo, personagem e cor, o mais importante é que o mascote terá uma personalidade, com todos os problemas, alegrias e tristezas. A parte psicológica é tão ou mais importante que a visual.
Observação importante 2 - criamos um impacto visual no tronco do personagem, onde o olho se retém por alguns segundos, pois cria uma confusão visual fazendo os olhos percorem o desenho. Esse impacto visual é causado, pois o tronco tem a aprência de roupa mas está pintado com o tom de pele (vermelho), assim a pessoa investiga novamente todo o desenho fazendo que a leitura seja repedida, forçando uma memorização. Como também provocar discussões a respeito desse assunto.

5º - Nome personagem
A escolha do nome teria que refletir a imagem do mascote e ao mesmo tempo ser de fácil entendimento, mas a idéia, dessa informação seria subjetiva.
Escolhemos o nome de Lorenzo, normalmente o nome se escreve Lourenço, mas ao pronunciar há um declínio na última sílaba, alteramos para “zo”, para manter o mesmo ritmo fonético.
Significado: Forma espanhola de Laurêncio. (latim) O coroado de louros.
Verbete: louros
S. m. pl. Fig.
1. Glórias, triunfos, lauréis: os louros da vitória. [Var.: loiros.]
Esse nome representa Instituto, reafirmando seus triunfos.

6º - Logo nome personagem
Por ser uma criação de uma mascote com uma finalidade única que seria a representação gráfica do Instituto e por esse ter métodos diferenciados e únicos, optamos por desenvolver a própria fonte a ser utilizada.
O logo remeterá aos moldes da era de ouro dos quadrinhos (década de 60 até 70), para uma assimilação com os pais, e uma leitura simples e elegante, direta e objetiva, com um grande “appeal” e pregnância.
Caso tenha a necessidade de inserir um texto de apoio, como exemplo: “Turma do...”, indicaríamos uma fonte cursiva e colocada entre as letras “L” e “O”.

7º - Cor logo personagem
A cores no círculo cromático foram às análogas entre amarelo-verde e vermelho, fazendo uma policromia, justaposta de maneira deliberada para que seus elementos individuais quando visto no todo dêem a sensação de um degradê.
Das cores:

Verde - natureza, primavera, fertilidade, juventude, desenvolvimento, boa sorte, esperança.
Amarelo - velocidade, concentração, otimismo, alegria, felicidade, idealismo.
Alaranjado - energia, criatividade, equilíbrio, entusiasmo, ludismo.
Vermelho - paixão, força, energia, amor, liderança, alegria.

Espero que tenha ajudado a entenderem como fazer a defesa de um mascote, mas vale lembrar que tudo aqui apresentado demandou tempo e pesquisa um briefing bem elaborado. O visual do personagem foi a parte mais trabalhosa, acredito que todo o trabalho tenha atingido o objetivo.
Até mais…daquele que anda de dia e que a força estejam com vocês, e lembrem-se: Quem vigia os vigilantes?

terça-feira, 19 de maio de 2009

Tiras Jack & Melvin


31/32